A polêmica chamada Alumínio

Atualizado: 23 de out. de 2021







O alumínio é um elemento que pode estar presente em algumas substâncias, como cloridrato de alumínio e alúmen de potássio.


Estes compostos que contém alumínio em sua composição são utilizados como ingredientes ativos em antitranspirantes.

Três principais problemas são apontados em estudos para o uso de antitranspirantes: (1) bloqueio da liberação de toxinas através do suor, (2) possível associação do alumínio com câncer de mama e (3) com a doença de Alzheimer.


Compostos de alumínio fecham temporariamente o duto por onde o suor é liberado e isso interrompe o fluxo de suor para a superfície da pele, prejudicando o processo de eliminação natural das toxinas e a regulação térmica do nosso organismo.


Além disso, alguns estudos sugerem que os compostos à base de alumínio, que são frequentemente aplicados e deixados sobre a pele perto da mama, podem ser absorvidos e causar efeitos semelhantes ao estrogênio. Podendo ser a causa de aparecimento do câncer de mama devido a relação do estrogênio ser responsável pelo crescimento de células cancerígenas.


Alguns fornecedores discordam, pois segundo eles o tamanho da partícula do cristal contendo alumínio é grande o suficiente para não penetrar na pele, no entanto, caso ele realmente não seja absorvido pela pele o processo de transpiração é prejudicado, como já mencionado acima.


Em relação à doença de Alzheimer, um estudo científico realizado em 2011 pelo grupo “Neural Dynamics Research Group” na University of British Columbia no Canadá aponta que o alumínio (Al) é o metal neurotóxico mais abundante na crosta terrestre, amplamente biodisponível para os seres humanos e repetidamente demonstrado o seu acúmulo em focos neuronais sensíveis à essa doença.

Desde 1911, evidências experimentais têm demonstrado que a intoxicação crônica por alumínio reproduz características neuropatológicas da doença de Alzheimer.

Apesar de existirem algumas contraposições, o


estudo aponta que a hipótese de o alumínio contribuir significativamente para a doença de Alzheimer é construída sobre evidências experimentais muito sólidas e não deve ser descartada.


Sendo assim, devemos ter atenção redobrada diante da grande oferta de antitranspirantes contendo alumínio em suas composições. Dica: Onde há fumaça há fogo, se muitas pesquisas mesmo não sendo tão conclusivas apontam para algo, e existe a possibilidade de fazermos uma substituição desse ativo, porque não evitarmos?


Você sabia que o magnésio pode ser substituinte do alumínio que é utilizado como ingrediente ativo em desodorantes?

O magnésio é um recurso natural que pode compor os desodorantes, a fim de entregar um produto mais seguro à saúde. Pense nisso!


Nós não somos eternos, mas podemos tentar levar uma vida mais saudável enquanto vivermos.


Fontes: Cosmetologia do Bem


4 visualizações0 comentário
</